Destino, Estilo

Snorkel na maior barreira de corais do mundo

A famosa Great Barrier Reef está localizada na costa leste da Austrália, na altura do estado de Queensland. Possui 2.300km de extensão e pode ser vista até mesmo do espaço! Abriga 1.625 espécies de peixes, 133 de tubarões, 3.000 de moluscos/conchas, 30 de golfinhos e baleias, 630 de estrelas do mar e por aí vai… a lista é infinita!

Mapa com localização da barreira | NeoGeneric

Há tempos estávamos namorando a Austrália e finalmente visitamos o país em janeiro de 2018. No roteiro, não poderia faltar a barreira e, mesmo tendo enfrentado chuva no dia do passeio, valeu MUITO a pena ter mergulhado nesse lugar e visto uma vida marinha tão exuberante! Apesar de a chuva não ter atrapalhado o snorkel em si, ficamos com muita vontade de voltar para ver o coral brilhando com o sol. Mas fazer o que, né? Faz parte da natureza e demos azar mesmo.

Os principais pontos de visitação da barreira são as cidades de Airlie Beach e Cairns. Como nós também queríamos conhecer a ilha de Whitsundays, onde está localizada a famosa Whitehaven Beach (lugar incrível que você deveria considerar colocar no roteiro), optamos por visitar a barreira a partir de Airlie Beach, de onde saem os passeios para todos esses lugares.

Barreira vista do espaço | Foto: http://photojournal.jpl.nasa.gov

Para chegar até Airlie Beach, voe para Proserpine (Whitsunday Coast), aeroporto pequeno localizado a 25km de distância da cidade. Em seguida, contrate um transfer para chegar ao seu hotel. Nós fizemos com a Whitsundays Transfers por $36 dólares (ida e volta). Outra empresa que faz transfer é a Whitsunday Transit. Não vale a pena alugar carro porque a cidade é bem pequena e você fará todos os passeios de barco. Dependendo do local em que estiver hospedado, pode ser que você precise andar uns 20 minutos até o porto. Se bater preguiça, pegue um taxi por menos de $10 dólares.

Nós fizemos o passeio com a Cruise Whitsundays e escolhemos o Full Day Reef Experience, que sai do porto de Airlie Beach às 8h e retorna às 18h ($250 dólares, com almoço incluído). Como são 3 horas de travessia (cada trecho), passamos apenas 4 horas na barreira. Foi difícil ir embora e achamos que o tempo passou super rápido! Por isso, não recomendamos os passeios de meio dia, que passam apenas 2 horas na barreira. Muito tempo de deslocamento para pouco tempo aproveitando.

Se estiver com folga no roteiro, ainda é possível dormir na barreira e aproveitar 2 dias inteiros por lá! O nome desse passeio é Reef Sleep ($500 dólares, com todas as refeições incluídas). Os sortudos vão no mesmo barco que faz o passeio de apenas um dia, mas ficam na plataforma da Cruise Whitsundays e dormem lá. A vantagem é ver a barreira vazia e continuar fazendo snorkel até o por do sol. À noite, a promessa é ver o céu mais estrelado da vida, seguido de um amanhecer do dia incrível. Nós chegamos a agendar esse passeio, mas acabamos não dormindo lá por conta da chuva. Muito triste, vamos ter que voltar! 😉

Plataforma da Cruise Whitsundays

Barracas para dormir na plataforma em alto mar | Foto: Cruise Whitsundays

Conversamos com algumas pessoas que fizeram passeios de 3 dias pelo mar, visitando a barreira e a ilha de Whitsundays, incluindo Whitehaven Beach. Pareceu uma experiência super legal também. A empresa que fizemos não oferece esse passeio, então aí vão alguns contatos para buscar maiores informações sobre roteiros e preços: Airlie BeachArlie Beach OnlineWhitsunday Information and Booking Service, Explore Whitsundays e Whitsundays Sailing Adventures.

Snorkeling na barreira | Foto: Cruise Whitsundays

A melhor época para visitar a barreira é entre abril e outubro, quando chove menos. Entre novembro e março é época de ciclones e você pode dar o azar que nós demos e pegar muita chuva. De qualquer forma, optamos por visitar a Austrália durante o verão para aproveitar, em outras cidades do país, dias de sol e praia. Conhecemos muita gente que foi para a barreira nessa época e pegou sol, então é um pouco de sorte também. Não tem muito o que fazer a não ser torcer! Mesmo com chuva, foi possível fazer o passeio, mergulhar e aproveitar bastante (já estávamos molhados de qualquer forma)!

Além de snorkel e mergulho de cilindro, outra experiência incrível é sobrevoar a barreira de helicóptero. Por conta da chuva, acabamos desistindo de fazer o voo, mas quem fez gostou. Os preços são bem salgados ($150 dólares por 10 minutos e $250 dólares por 20 minutos), mas eu não pensaria duas vezes se o tempo estivesse bom! Se estiver com dinheiro sobrando, também é possível voltar para Airlie Beach de helicóptero pela bagatela de $500 dólares e fugir das 3 horas de barco. Os voos podem ser contratados pelo site da Hamilton Island Air (os preços no site estão mais caros do que vimos pessoalmente) ou então no próprio barco durante a ida para a barreira (mas não bobeia, marca assim que entrar no barco para não ficar sem vaga).

Outra opção é sobrevoar – de hidroavião – a barreira e a ilha de Whitsundays a partir de Airlie Beach. A duração do voo é de aproximadamente 1h30 e custa a partir de $250 dólares. Duas principais empresas fazem o passeio: GSL Aviation e Air Whitsunday.

E aí? Já está super animado para conhecer esse paraíso?

conheça TAMBÉM

Comentários