Destaque, Destino, Roteiro

Croácia: o paraíso do mar adriático

A Iugoslávia era tema recorrente nas aulas de Geografia. Lembro de estudar aquele país socialista e depois as guerras – principalmente fundamentadas em questões étnicas – que ocorreram entre 1991 e 2001 e levaram à separação do país. Naquela época, tudo o que víamos e sabíamos sobre o lugar era destruição, tristeza, crise econômica e todas as demais mazelas ligadas às guerras civis.

Nunca poderia imaginar que um dia viajaria e me apaixonaria por esse lugar.

Atualmente, o território está dividido entre os seguintes países: Croácia, Montenegro, Bósnia-Herzegovina, Eslovênia, Macedônia, Sérvia e Kosovo.Paklinski Islands

A região tem atraído cada vez mais turistas, e não é para menos! QUE LUGAR LINDO!!! O destaque fica com a Croácia, destino que tem se tornado cada vez mais o queridinho do verão europeu. Montanhas, mar de água calma e cristalina, castelos, muralhas e uma história riquíssima.

O país tem bastante estrutura para receber turistas e quase não se notam mais sinais de uma guerra civil tão recente (a não ser que você pare para conversar com os locais, que te contarão – com tristeza no olhar – as histórias marcantes sobre as suas experiências pessoais daquela época).

Roteiro

Nossa viagem para a Croácia aconteceu em agosto de 2016, basicamente pela costa da Dalmácia, localizada na costa leste do Mar Adriático. Foram 10 dias de muita praia e lugares incríveis, parecíamos estar em um filme da Idade Média (ou em Kings Landing, para os fãs de GOT rs). Ao mesmo tempo, estávamos em um paraíso de natureza exuberante.

Acrescentamos mais 1 dia ao roteiro e demos uma esticadinha até Montenegro para conhecer a linda Baia de Kotor e a praia Sveti Stefan, mas isso é história para outro post.

Os 10 dias que passamos na Croácia não foram suficientes para conhecer todos os lugares que gostaríamos, mas foi suficiente para ficarmos encantados com o país e com a certeza de que voltaremos um dia!

Nosso roteiro ficou dividido assim:

1 dia: Dubrovnik

2 dia: Dubrovnik

3 dia: Dubrovnik -> Hvar

4 dia: Hvar

5 dia: Hvar + Vis/Stiniva Beach + Bisevo/Blue Cave

6 dia: Hvar + Ilha Brac/Zlatni Rat

7 dia: Hvar

8 dia: Hvar -> Split

9 dia: Split + Plitvice Lakes National Park

10 dia: Split

Não tivemos oportunidade de estender a viagem, mas recomendamos ainda as cidades de Zadar (1 dia) e Zabreb (2 dias), capital da Croácia.

Para a nossa próxima viagem, ficaram ainda, pelo menos, os seguintes destinos: Trogir, Krka National Park e Istria, península dividida pela Croácia, Eslovênia e Itália. Quanto mais tempo você tiver para explorar a Croácia, menor será o seu arrependimento por ter ido embora cedo demais rs! De qualquer forma, recomendamos, pelo menos, 10 dias.

Trogir | Foto: Nekitamo para Flickr

Istria | Foto: @doyoutravel

Krka National Park | Foto: Angelo Miceli para Flickr

Quando ir

A melhor época para visitar a Croácia é, sem dúvidas, o verão, já que estamos falando de muita praia e água cristalina. Você não vai querer perder a chance de mergulhar e fazer passeios de barco em lugares com essa água cristalina aqui:

Paklinski Islands | Foto: Blog Sete Mares

É claro que o auge do verão europeu – julho e agosto – significa encontrar pontos turísticos bem movimentados e preços mais salgados. Por isso, se você quer aproveitar dias ensolarados e fugir da muvuca, maio, junho e setembro são ótimos meses para viajar pela região. De qualquer forma, vale lembrar que a Croácia ainda não é tão visitada quanto outros países europeus, então viajar entre julho e agosto não inviabiliza a viagem.

Fomos em agosto e, com algumas dicas de guias turísticos que vamos compartilhar aqui no blog, conseguimos fugir da horda de turistas.

Nos meses entre outubro e abril as temperaturas são mais amenas, o que dificulta as idas à praia. Será uma viagem diferente, mais voltada à história do local.

O auge do inverno é para os fortes: faz bastante frio e, algumas vezes, chega a nevar! Mas não deixa de ser lindo…

Dubrovnik com neve | Foto: Dubrovnik em Português

Veja abaixo a variação de temperatura e chuva na Croácia:

Aeroportos

Não há voos diretos do Brasil para a Croácia. É preciso viajar por uma das companhias aéreas que vão para outras cidades europeias e, de lá, pegar um voo para um dos aeroportos da Croácia.

O legal é ficar de olho em promoção de passagem para a Europa, visitar a cidade de chegada e saída do continente europeu, juntando com a viagem à Croácia.

Nós estávamos em Amsterdam e fomos para Dubrovnik de EasyJet. Ao final da viagem pela Croácia, saímos de Split para Roma de Vueling. Ambas as companhias aéreas são low cost e os voos internos custaram em torno de R$150/R$200 cada perna. O ideal é fazer a busca em algum site como TurismocitySkyscanner, Decolar.com, ViajaNet, GoogleFlights para encontrar o melhor preço.

A Croácia possui 8 aeroportos:

– Zagreb

– Zadar

– Osijek

– Dubrovnik

– Pula

– Bol

– Split

– Rijeka

Transporte

Alugar um carro facilita muito a viagem! O ideal é começar por Dubrovnik ou Zagreb e subir ou descer a costa. Nós chegamos por Dubrovnik, ficamos 2 dias lá sem carro e alugamos no terceiro dia para fazer um “bate e volta” para Montenegro. No dia seguinte, seguimos viagem em direção à Hvar (e depois Split e Plitvice Lakes).

A verdade é que usamos muito pouco o carro dentro das cidades, já que o estacionamento é complicado e as cidades são pequenas e possuem linhas de ônibus regulares. Além disso, as chamadas Old Towns – cidades velhas onde estão os pontos turísticos – não admitem a entrada de carros.

Por outro lado, para viajar dentro do país o carro foi bastante útil. Pudemos parar na estrada em lugares lindos, mudar roteiros e horários, ficar mais tempo nos lugares que amamos e por aí vai. Então se você tiver condições de alugar um carro, vale a pena, até porque as estradas são muito boas e o deslocamento acaba sendo bem mais rápido – e maravilhoso, já que as principais estradas são pela costa. Olha o visual:

Estrada na Croácia | Foto: Blog Sete Mares

Já dirigimos por estradas lindas, mas essa realmente impressionou!

Também é possível viajar pela Croácia de ônibus a partir das principais cidades. Mais informações em http://www.buscroatia.com.

Além disso, existem vários passeios pelo país. O site da Tours4fun parece ter boas opções.

Não viajamos de ônibus e nem fizemos passeios com base nos sites indicados acima, mas mencionamos no post para facilitar o planejamento da sua viagem 😉 Se quiser contar a sua experiência com esses serviços, comente ao final do post.

Seguro Viagem

O seguro viagem não é obrigatório para a Croácia, pois o país ainda não faz parte do Tratado de Schengen, assinado por alguns membros da União Européia com o objetivo de permitir a livre circulação de pessoas entre os signatários, dispensando a apresentação de passaporte para circulação entre esses países (ou seja, uma vez que você tenha passado pela imigração para entrar na Europa a partir do Brasil, você não terá mais que mostrar o passaporte caso trafegue entre esses países – mas esse não é o caso da Croácia).

Os países que fazem parte do “Espaço Schengen” exigem a assistência de viagem para turistas no valor mínimo de 30.000 euros. A Croácia já solicitou a sua entrada como membro do Tratado de Schengen, então não vacile quando for viajar e cheque se o seguro viagem já se tornou obrigatório.

De qualquer forma, nunca viajamos sem seguro viagem. Definitivamente não vale a pena economizar dinheiro com a sua saúde.

Moeda

Apesar de fazer parte da União Européia, o Euro ainda não foi adotado na Croácia. A moeda oficial é a Kuna (HRK).

7,36 KRK = 1 EUR

O ideal é levar Euro ou Dólar e trocar lá na Croácia. Nunca leve Real! Não tivemos muitos problemas com aceitação de cartão de crédito nas principais cidades, mas é importante andar com dinheiro no bolso. A troca da moeda foi super fácil. Existem muitos bancos e casas de câmbio nas cidades.

Visto

A Croácia faz parte da União Européia desde 2013 e o visto não é exigido para os brasileiros que pretendem visitar o país com fins turísticos ou comerciais com permanência até 90 dias.

Entretanto, é necessário que o passaporte tenha validade mínima de 3 meses para entrar no país.

conheça TAMBÉM

Comentários